A persistência é uma habilidade que se desenvolve através da vida. Ela começa com a definição de objetivos e a criação de um plano para atingi-los. 

No mundo imediatista em que estamos vivendo, no qual aprendemos que se não tiver a recompensa imediata não vale a pena, fica difícil desenvolver a persistência. No entanto, por outro lado, essa é uma das habilidades mais exigidas no mercado de trabalho. 

E o entendimento e o desenvolvimento dela pode começar em casa com pequenos desafios. É o que chamamos de “sair da zona de conforto”. A teimosia por outro lado  faz com que a criança insista em alguma tarefa sem perceber que não faz parte do seu objetivo ou lhe traz algum desenvolvimento.

Os desafios devem ser propostos pelos pais/cuidadores de acordo com o desenvolvimento da criança. A persistência precisa ser encorajada com frases como: “Quem que você não desistiu”, “Veja como você trabalhou duro”, “Você conseguiu apesar de não ter sido fácil”, etc.      

Algumas vezes, providenciar atividades para uma criança sair fora da zona de conforto pode criar em um primeiro momento raiva, frustração ou mesmo medo do fracasso. Nesse ponto, nós adultos podemos ajudar a criança, mas não resolver por ela. Esteja por perto para apoiá-la e incentivá-la a continuar. Se na primeira tentativa não der certo, incentive a criança a tentar mais vezes. Faz parte da persistência ter uma frustração. Por isso, mostre que errar faz parte do processo e que contratempos acontecem. Todos erramos e podemos tentar novamente. Discuta outras alternativas. Elogie o esforço e não somente a tarefa terminada. 

O processo para se atingir um objetivo é tão importante quanto o produto final. Para uma criança todo o desenvolvimento que ocorre no processo de um projeto traz um desenvolvimento de várias outras habilidades ao mesmo tempo. 

Vamos pensar que uma criança de 4 anos queira montar um quebra cabeças. O que será necessário? Em primeiro lugar, ter as peças em uma mesa e ver uma foto de como ficará pronto. Orientada com o principal objetivo, que é montar, a criança já estará saindo da zona de conforto com este novo desafio. Depois, precisa pensar nas opções de como colocar as peças juntas. O processo terá de tentativas e erros. A criança terá momentos em que vai querer desistir. E é nesses momentos que os pais podem tentar ajudar um pouco com frases como “Você acha que se virar essa peça vai encaixar? ” ou “Olhe a foto e olhe para as peças”.   Mesmo que depois de várias tentativas a criança siga tendo dificuldade, o pai poderá ajudar e elogiar o esforço dizendo por exemplo, “Nossa você já tentou bastante”, “Posso te ajudar?, “Vamos continuar juntos mais tarde”.

Uma criança que teve a persistência bem desenvolvida desde cedo poderá enfrentar os desafios da vida profissional sabendo que a frustração e os erros fazem parte, mas que o principal é tentarmos de várias maneiras. Na escola, é provável que essa criança entenda e receba todo aprendizado como um desafio e vai se esforçar para tentar resolver. E, no futuro, tenderá a ser um profissional com objetivos claros e planos viáveis.

Escrever um comentário