Muito se discute e já se tornou comum que muitos pais se conscientizem e não ofereçam açúcar até a criança completar dois anos. Mas, a grande dúvida é, e após essa idade, é liberado? Antes de dar uma resposta categórica, vale à pena esclarecer alguns pontos sobre os impactos que o açúcar pode causar em nosso organismo.  Elenco aqui 4 argumentos:
1- O açúcar mascara o sabor original do alimento e a criança tende a recusá-lo quando oferecido de forma natural, como em frutas e alguns legumes. Nas fases de vida onde o apetite naturalmente diminui, entre 1 e 3 anos e algumas avançando até os 7 anos, a criança acostumada a comer açúcar, certamente, enfrentará muito mais dificuldades em aceitar outros alimentos, pois sempre terá preferência pelos doces. Ou seja, quanto mais permitirmos que os pequenos consumam alimentos adoçados, mais difícil será introduzir outros sabores. 2- O açúcar branco não acrescenta nenhum nutriente importante para o organismo. Nós, nutricionistas, o chamamos de “caloria vazia”. Ou seja, diferente do açúcar natural que traz vitaminas para o organismo, o branco, além de não trazer nenhum benefício, ainda dificulta na hora de introduzir outros alimentos mais saudáveis. 3- O consumo liberado de açúcar traz prejuízos para a saúde de todos, mas para as crianças, ele é ainda maior. A obesidade e excesso de peso são riscos reais que, infelizmente, podem ter reflexos que vão resvalar por toda vida.  Uma criança obesa tem chances muito maiores de se tornar um adulto também obeso e exposto às doenças associadas ao excesso de peso. 4- Quando consumimos altas doses de açúcar, nosso corpo libera muita insulina, o que dá início a um processo inflamatório podendo, ao longo dos anos, levar ao diabetes. Hipertensão e esteatose hepática (gordura no fígado) também são doenças que nossos filhos podem ter quando o consumo de açúcar é excessivo. E esses são problemas de saúde quando desenvolvidos já na infância vão exigir que se tenha cuidados especiais por toda vida. Mesmo diante desses argumentos, minha recomendação, enquanto nutricionista, não é, simplesmente, condenar todo e qualquer consumo de açúcar. O que os pais devem fazer é ensinar a criança a entender que o açúcar só deve fazer parte da alimentação em situações específicas, como datas especiais e festivas. Desta forma, ele passa a fazer parte da história de vida dos nossos pequenos como algo positivo e saudável. Lembre-se que a infância é o momento onde introduzimos a educação e os hábitos alimentares, ou seja, seu filho vai aprender agora o que você ensinar! Assim, caprichar no oferecimento de frutas, legumes e outros alimentos saudáveis já darão a eles os os carboidratos, proteínas e gorduras necessárias para seu bom desenvolvimento. Faça uma história diferente para seu filho!

Escrever um comentário