Entre tantas mudanças que o novo coronavírus trouxe, como o isolamento social, suspensão das aulas, administrar home office e as crianças em casa, a alfabetização tem sido mais um desafio para muitas famílias que têm filhos (as) passando por esse momento na fase escolar.

Com a interrupção das aulas presenciais, a maioria das escolas têm enviado pela internet atividades para que os alunos possam fazer em casa. No caso das crianças que já tinham iniciado a alfabetização, a recomendação do pedagogo e diretor escolar Thiago D´Amato Higa, é que a escola e os educadores continuem o processo de alfabetização

“A criança está em desenvolvimento e aprende o tempo todo, logo a alfabetização pode prosseguir em casa com o auxílio da família. Mesmo distante, o professor pode propor e indicar atividades, materiais, jogos e brincadeiras que darão continuidade ao processo de alfabetização”, pontua.

E é assim que tem acontecido na nova rotina de estudos do Matheus Oliveira, de 7 anos. Segundo conta a mãe do garoto, a administradora Elaine Oliveira, de 40 anos, o filho está em processo de alfabetização e a professora envia vídeos ou áudios explicando a atividade que ele deve executar.

“São vídeos curtos, de cinco minutos. E as atividades são simples. Esses dias, por exemplo, a professora enviou uma tarefa em que ele tinha que completar um cheque. Tinha a figura de um cheque, imprimimos e ele completou. Outra atividade também era completar um desenho de uma ‘amarelinha’ com uma determina sequência numérica”, explica.

De acordo com Elaine, o filho sente mais dificuldade na leitura, então, ela aproveita para incentivá-lo a superar esse desafio. “Às vezes ele fica bravo e impaciente. Então, eu paro, leio para ele e deixo que ele somente responda a atividade. Mas tirando a dificuldade da leitura, ele tem levado numa boa”, pontua.

Mãe de uma menina de apenas 5 anos, que tinha iniciado a alfabetização antes do Brasil registrar os primeiros casos do novo coronavírus, a administradora Milena Gomes, de 35 anos, conta que a escola tem enviado proposta de atividades semanalmente, mas que não são tarefas complexas. 

“Uma das propostas era encontrar na casa objetos que começassem com algumas letras do alfabeto, que foram determinadas pela professora”, afirma.

 

Alfabetização: escola e famílias devem caminhar juntas

Para continuar o processo de alfabetização que tinha sido iniciado antes da suspensão das aulas, a sugestão do pedagogo e diretor escolar Thiago D´Amato Higa é para que as escolas elaborarem atividades que possam ser impressas pelas famílias. “As atividades que são usadas no início da alfabetização são fáceis de entender e os pais conseguem auxiliar a criança no momento que estão fazendo”, afirma.

Higa destaca que a participação dos pais e das mães é de extrema importância durante a alfabetização das crianças, mas não somente no período da quarentena. “Uma brincadeira que pode ser feita em casa e as crianças vão adorar é um caça ao tesouro. Os pais podem imprimir algumas imagens e esconder pela casa. A criança procura essas imagens e depois diz a letra inicial da imagem. Se a criança estiver começando a ler, a imagem pode ser substituída por uma palavra e a criança faz a leitura quando encontrar”, sugere. 

Sites e blogs também disponibilizam materiais específicos para a alfabetização, que podem ser baixados gratuitamente. “No meu site www.mestredosaber.com.br recebo muitos comentários de pais que fizeram a impressão das atividades e estão adorando usar em casa com os filhos. Além das atividades impressas, gosto de alguns sites com jogos que ajudam no processo de alfabetização. Um site muito legal é o www.brincandocomarie.com.br que traz uma proposta muito legal de aprender brincando”, indica.


Confira também:
Ferramentas para educar em casa: 20 aplicativos para ajudar seu filho


 

Escrever um comentário