Ao longo do calendário de 2021 serão oito feriados prolongados, o que costuma ser uma ótima oportunidade para descansar e curtir com os filhos e/ou filhas, não é mesmo? E é justamente nessas ocasiões que muitos gostam de fazer as malas e viajar em família. Entretanto, o cenário pandêmico gera muitas dúvidas e preocupações… afinal, será seguro uma viagem com os pequenos neste momento?

A enfermeira e empresária Marama da Rocha  Bomfim afirma que é possível, sim, desde que as normas de proteção sejam seguidas. “As crianças precisam ser orientadas quanto a necessidade de manter o uso de máscara e de álcool gel”, ressalta. 

Para Tatiana Milani, que é travel designer, especialista em viagens para Orlando (EUA) e em acessibilidade, uma das maneiras mais seguras para fazer o deslocamento das viagens é a utilização do próprio carro da família como meio de locomoção. “O aumento das viagens de carro também sofreu um aumento considerável. Esse é um modo de viagem muito seguro, pois você se desloca utilizando seu próprio veículo. A procura por veículos do tipo trailer e motorhome aumentaram expressivamente no Brasil, nestes últimos meses”, destaca.

Pensando em reduzir ainda mais os riscos de contaminação, Marama conta que realizou uma viagem de carro e levou os lanches para serem feitos no interior do veículo, evitando paradas desnecessárias. “No  caso  de viagens mais longas, procure restaurantes mais abertos, onde há circulação de ar. Para as paradas necessárias, para utilização do banheiro, leve seu próprio kit de higiene, reduzindo o contato com outros objetos”, orienta.

Entretanto, Tatiana afirma que as viagens de avião também são seguras, uma vez que há sistemas modernos de circulação e filtragem do ar. “Eles filtram o ar a cada dois ou três minutos e garantem segurança durante os voos contra diversos vírus e bactérias”, explica.

A dica da enfermeira Marama é para evitar a circulação no interior das aeronaves. “Mantenha o uso de máscara e álcool gel. Se estiver com crianças, leve ao banheiro antes de entrar no avião para minimizar ao máximo possível a circulação”, pontua.

Como escolher o destino e a acomodação com mais segurança?

De acordo com a travel designer Tatiana Milani, todas as acomodações podem ser seguras, desde que os protocolos de saúde sejam seguidos. A profissional ainda recomenda verificar se o local possui o selo “Turismo Responsável” do Ministério do Turismo, que é um indicativo que o estabelecimento está cumprindo todas as exigências necessárias.

“Eu considero resorts, hotéis e pousadas como seguros, pois há o controle total quanto ao número de hóspedes, as capacidades e limites máximos das ocupações. Campings também são seguros, mas nem todas as famílias estão dispostas a se aventurar neste tipo de hospedagem”, destaca.

Para quem optar por Airbnb, Tatiana recomenda verificar a avaliação quanto ao quesito higiene. “Neste momento, eu prefiro levar as nossas próprias roupas de cama e banho, para me sentir mais segura e confortável”, sugere. 

Já a enfermeira Marama da Rocha Bomfim prefere viajar para resort, neste momento da pandemia. “Acho mais  familiar e tudo que você precisa está em um mesmo lugar, assim evita saídas para outros ambientes”, pondera.

Sobre o destino, Marama segure pesquisar onde os números da doença são menores e, de preferência, locais que sejam mais abertos e ofereçam contato com a natureza. “Para a escolha do  lugar seguro, o ideal é que seja mais afastado, onde a circulação   de pessoas seja somente daquele lugar. Assim, reduz o número de pessoas de outros  lugares circulando no mesmo ambiente”, indica.

A dica da Tatiana é para verificar se a cidade escolhida está com aglomerações e se há rede de saúde nas imediações. “Faça sempre um seguro viagem que cubra Covid-19, mesmo em viagens nacionais”, orienta.

Por fim, a profissional ressalta que a família só deve viajar se estiver sentindo-se preparada e segura. “Máscaras e álcool em gel são como peças de roupa hoje em dia, faz parte dos itens essenciais na nossa mala. E não se esqueça de seguir todos os protocolos sanitários”, finaliza.


Confira também:
É seguro brincar com as crianças ao ar livre durante a pandemia?


 

Escrever um comentário