O termo alfabetização das emoções está ganhando espaço nos últimos tempos. Como trabalhar essa alfabetização com as crianças? 

Antigamente, nem se ousava a falar sobre isso. Hoje já temos estudos e pesquisas abordando a importância desse tipo de alfabetização com as crianças. Inclusive, desde a infância todo individuo passa por momentos de alegrias, tristezas, frustrações e quanto antes aprender a lidar com essas emoções, melhor. 

Quando a criança não aprende a lidar com isso, ela tem dificuldade de se relacionar. Por isso é tão valioso incentivar e trabalhar a inteligência emocional desde cedo. Dessa forma, ela terá melhor relacionamento com as pessoas a sua volta e com ela mesma, vai melhorar a aprendizagem em todos os aspectos, terá mais facilidade para resolução de problemas, será uma pessoa menos ansiosa, entre outros. Isso tudo favorece todo o bem estar dessa criança. A longo prazo, essas habilidades são indispensáveis.

O que é a inteligência emocional

A inteligência emocional é um conjunto de competências relacionadas a forma como uma pessoa administra as próprias emoções e, consequentemente, a de quem está a sua volta.

Você já deve ter ouvido de alguma mãe frases como essa: “Meu filho tem o gênio forte”. Ou então visto crianças que não tem paciência para esperar a vez de brincar no balanço ou então não compreendem quando perdem algum jogo. Infelizmente, existem muitas crianças como essas que não sabem lidar com a frustração, por exemplo.

Seja porque os pais tentam de todas as formas poupá-los ou porque estão acostumados a conseguir tudo o que querem. O certo é que independente se a emoção é boa ou não, é preciso saber lidar com elas e aí entra a inteligência emocional. Quanto antes a criança aprender, melhor. 

Quando a criança conhece as suas emoções ela tem atitude e conhecimento necessário para se expressar e agir diante de qualquer situação.

Como a criança desenvolve essa competência

Se esse assunto é novo para você, aposto que está pensando: como ensinar isso para uma criança? Meu filho não vai entender.

Eu sei, parece difícil, até mesmo porque nem adultos tem essa inteligência emocional nos dias de hoje. Logo, saiba que essa competência é cada vez mais indispensável, seja no ambiente familiar como profissional.

Porém, com treinamento e prática, muita prática, ela é possível de ser aprendida sim. Para isso, pais e educadores precisam se unir e trabalhar com paciência, esforço, dedicação e tempo.

Para agir com inteligência emocional a pessoa precisa desenvolver sua capacidade de estar consciente de suas próprias emoções, reconhecê-las para conseguir controlá-las e assim ter comportamento adequado. 

Como alfabetizar as crianças emocionalmente

Existem sim atividades e conhecimentos que podemos, e devemos, ensinar as crianças para que elas sejam alfabetizadas emocionalmente. Por exemplo, uma atividade bem simples é usar os emojis das redes sociais da internet para ensinar o que cada um transmite: alegria, surpresa, tristeza, medo, entre outras.

A partir disso, você consegue ensinar muita coisa as crianças, não só sobre os próprios sentimentos, mas também sobre o sentimento dos outros. Ela aprende também a reconhecer as emoções dos outros.

Num momento de frustração, espere a criança se acalmar e converse com ela, faça perguntas: por que ficou agiu dessa forma? Você acha que conseguiria resolver do seu jeito? Como você acha que seu amigo se sentiu? Mostre outras opções de comportamento, o que é mais adequado e como ele pode reconhecer as próprias emoções.

Trabalho de longo prazo

Não será de um dia para o outro que seu filho vai aprender tudo isso. Por isso precisa de tempo e empenho. Use situações cotidianas para ensinar e trabalhar essa alfabetização emocional. 

No mundo atual, essas habilidades se tornam cada vez mais importantes, dessa forma, nós evitamos desgastes e frustrações e a consciência emocional é fundamental para isso.

Quantas vezes nós adultos não nos sentimos bem diante de alguma pessoa ou situação por alguma razão? Isso pode acontecer com as crianças também. E é preciso respeitar, se comportar com cortesia, dignidade e respeito. 

Sabe a empatia? Aquilo que falamos tanto sobre se colocar no lugar do outro? Precisamos tanto disso nos dias de hoje. É preciso saber lidar com as pessoas, com as diferenças e com as opiniões diferentes da sua. 

Criança não tem crenças e pré-conceitos enraizados, é mais fácil ensinar. Além disso, elas aprendem muito rápido. Que tal formar um cidadão emocionalmente preparado para os desafios da vida? Depende de nós, do nosso trabalho e dedicação hoje.

Escrever um comentário