Inteligência emocional é um conjunto de competências relacionadas a nossa capacidade de lidar com nossas próprias emoções. Ela exige de nós autoconhecimento, uma consciência e autonomia emocional e habilidades que fazem com que tenhamos reações mais equilibradas e sadias. 

Ela é muito importante para qualquer pessoa, pois favorece as relações entre as pessoas, inclusive com a gente mesmo, e nos oferece jogo de cintura para solucionar os problemas. Assim fica sempre mais fácil agir diante dos diversos acontecimentos.

Este período que estamos vivendo, de uma pandemia sem precedentes, é uma ótima oportunidade para exercitar e ensinar inteligência emocional às crianças. Afinal, se até mesmo os adultos estão passando por sentimentos de medo, insegurança e incertezas, imagine as crianças. 

 

Alfabetização dos sentimentos

Você já ouviu falar em alfabetização dos sentimentos? Como pai, temos grandes responsabilidades com a educação dos nossos filhos e, entre elas, está ensinar a nomear os sentimentos, principalmente para enfrentar o medo. 

Porém, antes de começar, é importante lembrar que essas competências emocionais não são aprendidas de um dia para o outro. Precisa de muito esforço e treinamento, dia-a-dia, com paciência, repetição e muita dedicação.

Dessa forma, você pode aproveitar atividades lúdicas para a criança aprender. Enquanto assistem a um desenho ou filme, por exemplo, pergunte o que o personagem está sentindo de acordo com a sua fala ou com a sua expressão facial. 

É possível também usar livros de histórias para identificar sentimentos e comportamentos comuns diante de cada emoção. Explique as diferenças entre eles, porque em algumas situações queremos fugir ou nos esconder e em outras chorar ou gritar. 

Questione como seu filho reagiria no lugar de algum personagem. É importante a criança saber também que não precisa esconder seus sentimentos, que você está lá para ajudá-la e está tudo bem sentir raiva, medo, tristeza assim como sentir alegria.

Desenhem: façam desenhos que ilustrem como vocês estão se sentindo neste dia e depois conversem sobre isso. Compartilhe seus medos com ele também, pais são exemplos na vida dos filhos e se você superou, ele saberá que pode superar também.

 

Como ajudar as crianças a vencerem o medo

Nos dias atuais, podemos ensinar as crianças a vencer o medo conversando com elas sobre o que elas sentem, o que acontece no corpo, quais são os pensamentos que elas têm. 

Validar os sentimentos dela é imprescindível. Então, sempre acredite e leve muito a sério os medos do seu filho. Mostre que você realmente se importa com ele e com seus sentimentos.

Da mesma forma, nunca, engane, critique ou zombe do medo que ele tem e jamais force ele a encarar algo que o deixa amedrontado. Pode ser muito pior. A conversa e confiança serão os melhores aliados para atravessar essa fase.

Crie com a criança um ritual para se acalmar sozinha ou com a ajuda do adulto quando precisar. Incentive ele a falar e esteja de ouvidos e braços abertos para acolher.

 

Família tem papel fundamental

É fundamental ensinar inteligência emocional para as crianças hoje se queremos que, no futuro, elas sejam fortes e bem preparadas emocionalmente e saibam como reagir diante dos acontecimentos. Assim também é o papel da família nesta educação emocional.

Eu garanto que no futuro, quando ver a criança administrando bem suas emoções e comportamentos, você vai sentir que todo esforço valeu a pena. 

Escrever um comentário